Como é feito o preenchimento labial?

É um procedimento realizado em consultório com anestesia local por pomada, gelo, agulha, ou por uma associação dessas técnicas.

Em alguns casos, é melhor fazer a aplicação em 2 etapas, para o local não ficar muito inchado e causar desconforto ao paciente.

Para quem é indicado o preenchimento labial?

É indicado para pessoas com lábios finos, desproporcionais ou irregulares já que, com a idade, nossos lábios tendem a se tornar mais finos. Existem, ainda, casos nos quais os lábios inferiores são mais finos do que os superiores, ou, ainda, há irregularidades no contorno labial, com pouca definição.

Preenchimento Facial

Pessoas com herpes labial ativa ou história de doenças auto-imunes não devem realizar o procedimento.

Nos primeiros 2-3 dias o lábio fica maior do que o resultado final, pois, além do produto, existe o inchaço natural de qualquer procedimento.

Após esse período, os lábios tendem a desinchar. Pode ser que fiquem alguns roxinhos, que desaparecem em alguns dias.

Colocar gelo local por 2-3 horas e não fazer atividade física por 2 dias são as principais medidas que devem ser tomadas. Em caso de dor, algum analgésico comum pode ser tomado.

O efeito é natural quando realizado por profissional que entenda a anatomia de um lábio “normalmente”  belo e que tenha sempre em mente a ideia de que é mais fácil colocar preenchedor, se for ocaso, do que retirar o excesso.

O preenchedor labial é destinado a dar volume, definir contorno e amenizar irregularidades.

Existe um desconforto que é bem aceitável quando aplicamos analgesia com pomada e gelo. O melhores produtos apresentam anestésico em sua composição.

Os melhores produtos das melhores marcas chegam a durar até 2 anos.

Existem materiais que não são absorvíveis, mas não são uma boa opção para os lábios, pois podem formar nódulos e o efeito tende a ser artificial.

Para preenchimento labial, o melhor produto é o ácido hialurônico, devido ao fato de seu efeito ser mais natural, ser absorvível, ter poder de induzir a produção de colágeno e ser de fácil manuseio e aplicação.

A substância é a mesma, porém, em cada parte do rosto, um tipo de ácido hialurônico é utilizado. Como a pele dos olhos é fina, devemos utilizar um produto que contenha ácido hialurônico mais “aquoso” e, no queixo, um que seja mais “firme”; nos lábios, um intermediário, e por aí vai.

A gordura pode ser utilizada, mas apresenta alguns inconvenientes. Apesar de seu efeito ser permanente, é difícil a aplicação, pois é necessária uma lipoaspiração de algum lugar do corpo antes, preparando essa gordura (centrifugar, peneirar ou decantar) para, só depois, aplicá-la. Além disso. há um “índice de reabsorção” alto nos lábios.

Por esses motivos, o ácido hialurônico é melhor.

O inchaço passa em 2-4 dias. Com 7-10 dias, o produto se “acomoda” e seu efeito se torna mais natural.

Em situações nas quais o efeito não agradou o paciente ou seu médico podemos utilizar um produto que dilui o ácido hialurônico.

O preço varia muito, dependendo da qualidade do produto utilizado. As melhores marcas são Allergan® e Galderma®, e, ainda, dentro destas marcas, existem as linhas melhores e mais caras.

A anatomia de um lábio ”bonito” deve ser conhecida e dominada pelo seu médico (cirurgião plástico ou dermatologista). Devemos manter as estruturas que já são belas e recriar as que não existem, aumentado o volume de maneira harmônica.

Peça ao seu médico para ver fotos de seus pacientes no antes e depois e certifique-se de que sejam casos dele, tendo em mente que são apenas demonstrações.